Skip to end of metadata
Go to start of metadata

Objetivo

O objetivo da InternalId é permitir trafegar em um só campo a composição da chave das entidades de cada produto. Isto foi necessário, pois várias entidades dos produtos possuem composições de chaves diferentes e não pode ser responsabilidade dos produtos entender a complexidade da composição destas chaves uns dos outros.

Exemplo: 

  • Fornecedor no Protheus: empresa + filial + loja + código
  • Fornecedor no Logix: empresa + código

Para o Logix o campo Loja do Protheus não faz sentido, portanto não alterará o produto para começar a reconhecer uma loja. Ao mesmo tempo em que Logix só tem campo “empresa” e Protheus trabalha com “empresa + filial”.

Utilizando a InternalId e o ferramental de de-para disponível, será possível associar a empresa da seguinte forma:

  • Empresa Logix 23 == Empresa Protheus 50|10    ou seja, a empresa 23 do Logix corresponde a empresa 50 e filial 10 do Protheus.

Ao compor o valor da InternalId o caracter “|” (pipe) sempre deve ser utilizado como separador.

A definição atual é que toda mensagem que for enviada por um produto levará os seus próprios códigos. Ou seja, não deverá existir um cenário, onde um produto possuindo um De-Para próprio deverá enviar o código do produto oposto integrado em uma mensagem.

O funcionamento e forma de tratamento que o adapter deverá fazer para a chave interna recebida permitirá saber que, por exemplo, o CompanyInternalId do Logix com o valor 23 corresponde ao CompanyInternalId do Protheus valor 50|10. O adapter do Protheus assim como de qualquer outro produto, deverá estar preparado para extrair da informação “50|10” o código da empresa e código da filial, pois o Protheus tem condições de reconhecer esta estrutura.

Por mais que sempre existirão juntas as tags próprias (exemplo: CompanyId e BranchId) e as tags de InternalId (CompanyInternalId) o ideal é que os adapters passem a priorizar o reconhecimento das informações recebidas via InternalId. Ou seja, se a CustomerInternalId recebida em uma mensagem já existe nos valores de de-para do produto, quer dizer que já existe um registro local associado. Sendo assim, é mais fácil extrair da informação “50|123456” o código da empresa e cliente do Logix, do que resolver separadamente os de-para de empresa e de cliente, caso fosse esta a estratégia.

Identificação única de De-Para de InternalId

Atualmente cada produto (ex.: Logix, Datasul, Protheus e RM) tem seu próprio ferramental de de-para, ou seja conjunto de tabelas e funções que permitem gravar valores de de-para referente a um determinado produto.

Exemplo Logix

Tabela VDP_DPARA_GERAL

   TABELA_DPARA    CHAR(18)

   CAMPO_DPARA     CHAR(150)

   CARACTER_LOGIX  CHAR(150)

   SISTEMA_INTEGR  CHAR(20)

   CARACTER_INTEGR CHAR(150)

Este ferramental de de-para que cada produto possui, armazena as informações relativas a si mesmo, ou seja código 50 do sistema externo corresponde ao código 23 da tabela empresa, campo cod_empresa.

Porém, a partir do momento que existe uma mensagem única entre os produtos, e esta mensagem única possui um determinado campo que em que todos os produtos terão um de-para, nada mais certo que este de-para que será alimentado também tenha um nome único entre os produtos.

Por isso, ficou definido que deverá existir para cada campo que possua um InternalId, um nome único entre todos os produtos. Este nome será sempre “Nome da Mensagem”.

Exemplo:

- InternalId para a mensagem City: City.

- InternalId para a mensagem CustomerVendor: CustomerVendor.

Importante

Este padrão é válido para o retorno do de-para por parte do aplicativo destino. Nos casos em que é necessário trafegar na mensagem um InternalId que representa uma chave estrangeira, o padrão adotado deve ser Nome da Mensagem + "InternalId", conforme descrito mais adiante.


Assim, tendo os ferramentais de de-para de cada produto uma referência a este nome, será possível no futuro fazer uma rotina de conferência de integridade de de-para entre os produtos.

Múltiplas referências a uma InternalId na mesma mensagem

Vamos supor que a mensagem DeliverySchedule tenha os campos OriginCityCode e DestinationCityCode, consequentemente existirão os campos OriginCityInternalId e DestinationCityInternalId. A existência destes dois campos não significa que haverá dois de-para diferentes, um para Origin e outro para Destination, o de-para deverá ser o mesmo, ou seja, CityInternalId, pois a origem da informação é a mesma.

Para permitir que o ferramental do EAI reconheça que estes dois campos pertencem a uma mesma chave estrangeira City, é necessário incluir uma tag de documentação <InternalIdName>, conforme o exemplo abaixo:

<xs:element name="OriginCityInternalId" type="xs:string" minOccurs="0" maxOccurs="1">

   <xs:annotation>

      <xs:appinfo>

         <InternalIdName>CityInternalId</InternalIdName>

      </xs:appinfo>

     <xs:documentation>InternalId do OriginCityCode</xs:documentation>

   </xs:annotation>

</xs:element>


<xs:element name="DestinationCityInternalId" type="xs:string" minOccurs="0" maxOccurs="1">

   <xs:annotation>

      <xs:appinfo>

         <InternalIdName>CityInternalId</InternalIdName>

      </xs:appinfo>

      <xs:documentation>InternalId do DestinationCityCode</xs:documentation>

   </xs:annotation>

</xs:element>


Esta mesma regra vale para quando o campo da chave estrangeira, por qualquer motivo, não tem um nome idêntico ao padrão “Mensagem”+InternalId, não necessariamente precisa existir dois campos com a mesma fonte de informação na mesma mensagem.


Exemplo: 

Mensagem Order

Campos VendorCode e VendorInternalId

Este campo receberá apenas códigos de fornecedor (Vendor), apesar de que a mensagem de origem da chave seja CustomerVendor.

Desta forma, o campo VendorInternalId na mensagem deve ter declarado o InternalIdName para o valor CustomerVendorInternalId.


Exemplo:

<xs:element name="VendorInternalId" type="xs:string" minOccurs="0" maxOccurs="1">

   <xs:annotation>

      <xs:appinfo>

         <InternalIdName>CustomerVendorInternalId</InternalIdName>

      </xs:appinfo>

      <xs:documentation>InternalId do VendorCode</xs:documentation>

   </xs:annotation>

</xs:element>


O uso do <InternalIdName> somente será necessário nos casos em que o nome do campo da InternalId não respeita exatamente o padrão “Mensagem” + InternalId. Ou seja, se o nome do campo na mensagem for CityInternalId, não é necessário informar o <InternalIdName>.

Utilização na mensagem


A chave interna é utilizada em dois contextos, como chave primária e como chave estrangeira.

Regra para chave primária

Toda mensagem que seja de evento, deverá ter uma tag InternalId dentro de seu <BusinessContent> que irá trafegar a composição de chave da sua entidade. Deve-se ressaltar que mesmo que em um produto a chave de uma entidade não for composta deve-se utilizar a InternalId, pois se está é simples em um produto, mesmo assim poderá ser composta em outro.

Esta tag deverá estar localizada logo abaixo dos campos da mensagem, que fazem parte da sua composição.

Exemplo:

Em XML

     <Code>123</Code>

     <InternalId>23|123</InternalId>


Toda mensagem de evento (quando for UpSert) deverá conter em seu conteúdo de retorno <ReturnContent> campos de InternalId para armazenar a chave interna do gerador do evento e a chave interna gerada no recebedor do evento. A necessidade disso é para que o recebedor da mensagem de evento e o gerador da mensagem de evento tenham conhecimento da chave interna gerada em cada produto. O fluxo abaixo exemplifica este funcionamento, para o cenário de inclusão de um novo Cliente.



Desta forma, na tag <ReturnContent> da mensagem as seguintes tags deverão ser criadas:

O ListOfInternalIdType está definido em um arquivo a parte ../types/ListOfInternalId_1_000.xsd e está estruturado conforme o exemplo abaixo.

Em XML

Como este retorno representa a resposta de uma mensagem enviada, deve-se entender a tag <Origin> como a InternalId do produto que enviou a mensagem (a origem), e <Destination> como a InternalId do produto que foi o destino da mensagem.

Regra para chave estrangeira

A utilização da InternalId se aplica também para chaves estrangeiras. Porém, neste caso a regra é que para cada Tag que representar uma chave estrangeira também exista uma Tag InternalId correspondente.

Exemplo:

Mensagem Warehouse

Code

Description


Mensagem Item

Code

InternalId

Description

Status

RegisterDate

WarehouseCode

WarehouseInternalId

Assim a InternalId de chave estrangeira terá o mesmo nome da tag normal – Warehouse para WarehouseCode – mas usando o termo InternalId em vez de Code.

Em qualquer posição que ocorra (sendo chave primária ou estrangeira), a tag InternalId sempre será uma tag type=”xs:string” sem tamanho definido.

Exemplo:

<xs:element name="WarehouseInternalId" type="xs:string">

   <xs:annotation>

      <xs:documentation>InternalId do WarehouseCode</xs:documentation>

   </xs:annotation>

</xs:element>

Para a chave estrangeira o adapter também deverá dar prioridade em resolver o relacionamento pela InternalId. Ou seja, ao receber uma mensagem de Item (seguindo o exemplo), este deve primeiro consultar no seu ferramental de de-para se existe registro correspondente para o WarehouseInternaId recebido, pois este valor já irá fornecer a chave completa correspondente no produto.

Utilização no Adapter


É sabido que cada mensagem única terá um único adapter/versão nos produtos. Com o objetivo de centralizar a regra para composição da chave da InternalId é interessante que cada adapter seja responsável por receber os valores das chaves e concatena-los para a composição da InternalId. Se isto ficar a cargo de cada programa ou adapter que for utilizar o valor, este poderá correr o risco de ser concatenado de formas diferentes em cada ponto em que seja necessário, o que irá prejudicar completamente o funcionamento do recurso.

Ou seja, o adapter da mensagem Item deverá ter um método que recebe os valores da chave e retorne estes concatenados. Ao mesmo tempo que deverá ter um método que recebe o valor da InternalId e retorna o valor correspondente a uma informação da composição desta. Todos os adapters de mensagens que tenham o Item como chave estrangeira utilizarão esta mesma função.

Desta forma, utilizando sempre este mesmo mecanismo onde for necessário, será garantido que o valor será composto sempre da mesma forma e devolvido sempre da mesma forma também.

Exemplo em pseudocódigo (consulte o manual de cada produto para conhecer as funções reais):

Adapter da mensagem Item

AdapterItem.Get_InternalId(cod_empresa, cod_filial, item)

Retorna Empresa + “|” + Filial + “|” + Código

Uso: AdapterItem.Get_InternalId(50,10,123456) =  “50|10|123456”


AdapterItem.Get_InternalId_Value(InternalId, Campo)

Retorna <retorna o valor correspondente a posição de “Campo”>

Uso: AdapterItem.Get_InternalId_Value(“50|10|123456”,”cod_empresa”) == “123456”











Indice 
  • No labels