Skip to end of metadata
Go to start of metadata

Índice

Introdução


Esta página tem o objetivo de descrever de forma geral o processo de qualidade do fluig, mostrando os níveis de testes que são executados nos processos de Inovação e Manutenção do produto.

Abaixo está ilustrado o fluxograma de desenvolvimento e níveis de teste que são executados em cada atualização do fluig.

Legenda de cores:


Processo de Inovação


Na inovação são implementadas as novidades no produto, ou seja, são desenvolvidos novos recursos funcionais. Após o desenvolvimento de uma novidade ser finalizado, esta é submetida aos seguintes níveis de testes:

Teste de unidade

  • Primeiro nível de auditoria funcional realizada em cada novidade.
  • É realizado por um desenvolvedor par dentro da equipe.
  • Verifica se os critérios de aceitação (casos de teste) especificados nas novidades foram atendidos.
  • Se o teste for aprovado, a novidade é enviada para o teste integrado. Caso contrário é gerado um retrabalho.

Teste integrado

  • Segundo nível de auditoria funcional realizada em cada novidade.
  • Executado pelo time SQA (Software Quality Assurance) em ambiente específico e adequado para este nível de teste, sendo que neste ambiente estão integradas todas as demais novidades que foram implementadas.

  • Novamente são verificados se todos os critérios de aceitação foram atendidos, mas com a visão sistêmica do SQA.
  • Se o teste for aprovado, a novidade fica aguardando o término das demais novidades planejadas para a atualização do fluig, sendo represada para o próximo nível de teste, “Quality de Inovação”.
  • Se for reprovado, é gerado retrabalho e passará novamente pelo teste de unidade e teste integrado.

Quality Inovação

  • Terceiro nível de testes que é realizado após o término de todas as novidades de uma atualização.
  • SQAs executam todos os casos de teste que geraram impacto no produto, de acordo com as novidades que foram implementadas.
  • Caso sejam identificadas não-conformidades são abertos chamados internos de bugs, os quais devem ser corrigidos para liberação da atualização.

Observação

Caso determinada novidade não esteja pronta e devidamente testada e aprovada, a mesma não é liberada para a atualização corrente, sendo transferida para a próxima atualização.


Processo de Manutenção


Paralelamente ao processo de Inovação, na Manutenção ocorrem as correções dos chamados de bugs que foram devidamente priorizados para correção e que serão liberados na atualização corrente do fluig.

Após finalizar o ajuste (correção) de um bug, este é submetido aos seguintes níveis de testes:

Teste integrado:

  • Após a correção de cada bug é realizado o teste integrado, ou seja, a auditoria funcional.
  • É executado por SQA em ambiente específico e adequado para este nível de teste, sendo que este ambiente contém todas as demais correções de bugs já efetuadas.
  • Se o teste for aprovado, a correção fica aguardando o término das demais correções planejadas para a atualização, sendo represada para o próximo nível de testes: Quality de Manutenção.
  • Se for reprovado, é gerado retrabalho e passará novamente pelo teste integrado.

Quality Manutenção:

  • Última e mais importante bateria de testes realizada para liberação da atualização.
  • Antes desta bateria de testes ser iniciada, ocorre a unificação de todas as novidades já testadas pela fase "Quality de Inovação" com os todos os bugs que foram corrigidos e testados, formando a atualização fluig "candidata" que será liberada.
  • Nesta versão unificada é executada uma bateria de testes contendo todos os casos de teste essenciais(*) do produto em outro ambiente específico para este processo.
  • Caso sejam identificadas não-conformidades nesta bateria de testes são abertos chamados internos para correção dos bugs. Estes bugs devem ser corrigidos para a liberação da atualização.

Observação

* Cenários “essenciais” são casos de testes definidos como extremamente críticos para utilização do produto. Atualmente são 864 cenários de testes.
Cada novidade realizada no produto gera novos cenários de testes, sendo que alguns deles obrigatoriamente são definidos como “essenciais”, incrementando a bateria de testes do Quality Manutenção.


Resumo Tipos de Testes e Responsabilidades


Testes Automatizados e Integração Contínua


Complementando os níveis de testes citados anteriormente, utilizamos o Bamboo como software de integração contínua.

O Bamboo possui vários planos de compilação dos ambientes de Manutenção e Inovação, alertando as equipes responsáveis caso ocorra algum erro de compilação do produto.

Além de compilar o produto várias vezes por dia, o Bamboo também executa a bateria de testes automatizados. Seguem abaixo alguns detalhes destes testes:

  • A bateria de testes automatizados do fluig possui atualmente 1060 testes. Esta bateria é executada 2 vezes por dia para cada um dos três bancos homologados pelo fluig: MySQL, SQL Server e Oracle.
  • Em caso de falha (ou "quebra") de algum cenário de teste automatizado, a causa deve ser investigada e corrigida com urgência.
  • A atualização não é liberada para clientes caso ocorra alguma quebra de teste automatizado.

Trecho do dashboard de acompanhamento de execução de testes automatizados fluig