Skip to end of metadata
Go to start of metadata

Índice


Introdução


Nesta página são listadas configurações do sistema operacional que podem afetar a experiência de uso do fluig. Os comandos abaixo são compatíveis com distribuições baseadas no Red Hat Enterprise Linux.

Importante!

Por questões de segurança orientamos não expor seu fluig diretamente à internet. Para isso, será necessário criar uma rede DMZ juntamente com o protocolo HTTPS.


Pré requisitos


  • Conhecimento em Linux.


Configuração do host local


Em alguns casos, de acordo com a configuração padrão da distribuição ou a instalação realizada, o servidor pode não resolver o nome do próprio host corretamente. Para evitar problemas, inclua o hostname do servidor no arquivo /etc/hosts apontando para o endereço IP local do servidor.

/etc/hosts
10.11.12.130	producao.fluig.com


Limite de arquivos abertos


O limite padrão de algumas distribuições Linux é de 1024 arquivos abertos. Porém, o fluig pode ultrapassar com certa facilidade esse limite devido ao processamento paralelo realizado durante o uso do servidor de aplicação.

Os arquivos abertos são a quantidade de descritores para um recurso alocado para um processo. Os recursos alocados podem ser arquivos no sistema operacional ou outros recursos como, por exemplo, conexões de rede.

No caso do fluig, temos os arquivos temporários, conexões aos clientes que fizeram a requisição (navegador), conexões de rede para os serviços dos quais depende (banco de dados, LDAP, consultas a serviços externos), arquivos do volume e outros recurso sob controle da JVM, como arquivos JAR carregados no classpath e utilizado nos classloaders.

Esse número não é limitado e pode variar, por isso você deve ajustar o limite máximo se estiver passando do valor configurado atualmente.

Para aumentar o limite de arquivos execute o comando abaixo:

  echo "fs.file-max=65536" >> /etc/sysctl.conf
  sysctl -p

Mais informações: RedHat.


Codificação de caracteres do sistema


Para evitar problemas no armazenamento de formulários por conta da codificação de caracteres do sistema, certifique-se de que a variável LC_ALL está configurada. Isso pode ser feito inserindo a variável LC_ALL na variáveis do usuário.

Inclua no script de inicialização mais adequado (.bashrc, .bash_profile, /etc/environment, etc...) a linha abaixo:

  export LC_ALL=en_US.utf8


Desabilitar SELinux


O SELinux é uma ferramenta de segurança desenvolvida pela NSA para proteger informações do governo americano e é ativada por padrão em algumas distribuições. Em contrapartida à segurança oferecida, o nível de detalhe para configuração do SELinux é muito grande.

Por conta disso, em ambientes onde não há um administrador com experiência na ferramenta, é sugerida a configuração no modo Permissive, através do procedimento abaixo:

  • Edite o arquivo /etc/selinux/config;
  • Na linha que declara o valor SELINUX, altere para SELINUX=permissive;
  • Reinicie o sistema operacional.

Mais informações: RedHat


Configurações MySQL


Para maiores informações sobre como configurar o banco de dados MySQL em um ambiente Linux, acesse Configuração do banco de dados MySQL.