Páginas filhas
  • PSIGAPON155 - Erros frequentes no processo de Leitura e Apontamento no módulo Ponto Eletrônico - PONM010
Ir para o final dos metadados
Ir para o início dos metadados

Produto:

Protheus 12

Ocorrência:

Erros frequentes no processo de Leitura e Apontamento no módulo Ponto Eletrônico - PONM010

Passo a passo:

Os erros mais frequentes de Leitura são quando um determinado dia não lê nas tabelas, ou lê e não grava, ou simplesmente não faz nenhum dos dois.

Se esse é o seu caso, o primeiro procedimento que deve verificar é se o período de apontamento aberto está correto com a parametrização da leitura, ou seja, acesse Cadastro de Ponto -> Período de Apontamento -> Outras Ações -> Modificar Período de Apontamento, nesta tela trará o período em aberto que estão trabalhando, verifique se está correto, se não estiver altere para uma leitura sem problemas.


Num segundo cenário, poderemos ter erro no Cadastro do Relógio com o arquivo AFD, quanto tivermos este formato, o crachá não importa e sim o PIS, então é interessante sempre tentar constatar se o PIS dos funcionários do AFD consta no cadastro de funcionários, na filial onde está sendo feita a leitura.
Existem situações em que se trabalha com muitos relógios e em diversas filiais e existe o hábito de pegar o AFD de uma e ler em outra, onde não tem ninguém alocado, por conta da alta demanda.


Se for a primeira leitura verifique se o funcionário tem troca de turno. Para que o sistema consiga montar o calendário deve existir troca de turno com data de inicio ANTERIOR à data da leitura.


Quando não lê a primeira ou primeiras ou a última ou últimas marcações do período:


A marcação pode estar fora do limite inferir e superior, exemplo:
Horário : 08:00 12:00 13:00 18:00 limite inferior 5h00 e Superior 5h00 ou seja, é considerado para contar, que marcação refere-se ao dia em questão, se o funcionário entrar das 03:00 até as 23:00.


Neste caso citado, se o funcionário tiver uma marcação as 02:00 da manhã a marcação ficará lida, gravada na SP8 , porém como não enquadrou dentro do período o sistema não encontrou a “tabela de horário” para ela, e a marcação não será apontada (o campo P8_aponta fica vazio), então será possível ver a marcação na tabela porém em Lançamentos > Marcações não.


Normalmente quando isso acontece de uma marcação ficar na SP8 e não ficar com o campo P8_aponta preenchido e por conseqüência o sistema não mostrar em lançamentos > Marcações é porque por algum motivo o calendário não foi montado, entende-se por calendário as informações necessárias pra listar os dias a trabalhar do funcionário com horário, exceções, feriados.


No cadastro de relógios, é sempre recomendado gravar o arquivo .txt em uma pasta local C:\ ou em alguma unidade de rede que aquele usuário tenha acesso ao mapeamento dela, não usar o arquivo do relógio na pasta \system do Protheus, pois quando realizamos o processo de Leitura e Apontamento, grava uma cópia de segurança para cada arquivo txt lido.


** Para cada REP cadastrado, devemos ter arquivos .txt com nomes diferentes, exemplo REP01.txt, REP02.txt e assim por diante, nunca utilizar um mesmo nome de arquivo para um REP diferente.

** O sistema grava o código do REP com o número serial do mesmo, então se modificarem ou substituírem o REP deverão utilizar um outro código de REP assim como outro número serial, nos campos P0_RELOGIO e P0_REP.

** Se o REP for Incremental = SIM todas as demais abas não deverão ser preenchidas, apenas os campos da aba Geral



Quando todos os cadastros já foram visualizados e mesmo assim não conseguimos realizar a leitura e apontamento, devemos realizar a manipulação das tabelas de ponto via APSDU.

RFE - tabela de marcações originais, aquelas somente vindas do REP

RFB - registro de cada leitura para cada REP cadastrado e executado, controlando o NSR de cada REP para evitar marcação duplicada ou leitura de um dia que já foi processado.

SP8 - marcações lidas pelo REP, alteradas, geradas automaticamente e informadas, ou seja, todas as marcações que o funcionário possui

SPC - apontamentos dos funcionários, que serão sempre os eventos gerados


A manipulação das tabelas devem ser realizadas com cautela e de preferência por um analista TI ou responsável pelos dados em banco.

Nessa intervenção deletamos das tabelas RFE, SP8 e SPC todos os registros iguais ou superiores ao primeiro dia que iremos ler novamente, ou seja, por exemplo, se iremos ler de 10/04/2018 a 15/04/2018, o último registro nessas tabelas só poderão ser menores que o dia 10/04, em nenhuma dessas três tabelas poderemos ter dia 10/04/2018 para frente.


A manipulação da tabela RFB deverá ocorrer por REP, ou seja, cada REP lido terá um registro na RFB e nesse registro no campo RFB_IDORG o último NSR (número sequencial de registro) daquele REP.

Por exemplo: No arquivo .txt que será lido, a primeira marcação do dia 10/04/2018 tem número NSR igual a 000012345 (sempre as nove primeiras posições de cada linha no REP), com isso na tabela RFB para aquele REP o último NSR deverá ser menor que este número, não podendo ter um número maior pois para o Sistema a leitura daquele primeiro já foi realizada. Com isso, deletamos para cada REP que será lido novamente, os últimos registros da RFB que são superiores a aquele primeiro que será lido novamente.


** Importante: Em todas as tabelas, após o DELETE executar o PACK para limpar os registros deletados e não deixar a base e a tabela com registros desnecessários.


** Nota: O Protheus realiza as leituras de forma cronológica, ou seja, dia após dia, sem repetir nenhum já lido e sempre respeitando a sequencialidade dos dias gerados na leitura. O dia que já foi lido ou apenas parametrizado, não poderá mais ser gerado, a não ser após as manipulações das tabelas descritas acima.


Temos alguns parâmetros que irão interferir na leitura e apontamento, são eles:


MV_COLMARC: Número máximo de conjuntos de Entrada e Saída a serem considerados num período de marcações.

MV_DESPMIN: Controla o intervalo de tempo mínimo entre duas ou mais marcações. Caso exista mais de uma marcação com intervalo igual ou menor ao parametrizado, esta é desconsiderada.

Exemplo: Se um funcionário passar o crachá às 8:00 e às 8:03 e este parâmetro estiver preenchido com 05, a marcação feita às 08:03 é ignorada.

MV_GETDIAA: Número de dias que antecedem o período de leitura apontamento informado nos parâmetros para a obtenção das marcações. (Máximo: 7 dias).

MV_GETDIAP: Número de dias posteriores ao período de leitura apontamento informado nos parâmetros para a obtenção das marcações. (Máximo: 7 dias).

MV_MCIGUAL: Aceitar marcações duplicadas na Manutenção de Marcação Por Centro de Custo e no Apontamento das Marcações.

MV_PM010LA: Define leitura/apontamento utilizando filial do relógio, caso tabela SP0 esteja no modo “exclusivo".

MV_PONMULT: Quantidade de Threads que devem ser utilizadas nas rotinas que possuam Multi-Thread do SIGAPON. (Conteúdo Máximo 5)


Após, todas as conferências, manutenções, ajustes, manipulações de tabelas, executamos a rotina de Leitura e Apontamento, sempre com a data base no último dia que iremos parametrizar na leitura.

Efetuar leitura do período, deixando a pergunta Ler a Partir do? nos parâmetros de leitura e apontamento com a opção CADASTRO DE RELÓGIOS.


Por fim, verifiquem os parâmetros e executem o processo de Leitura e Apontamento para gerar as marcações aos funcionários.

Observações:


Escreva um comentário...